Governo do Estado repassa recurso para dar andamento ao Projeto Recuperar na região do Alto Uruguai Catarinense

Publicado em 28/02/2020 às 09:30 - Atualizado em 28/02/2020 às 10:05

A região do Alto Uruguai Catarinense recebeu ontem (20), o valor de R$ 2.774.577,90, referente a assinatura do Projeto Recuperar, instituído pelo Estado de Santa Catarina em parceria com o Consórcio Lambari.

O próximo passo para dar andamento ao processo será a assinatura do contrato e a ordem de serviço com a empresa Iguatemi consultoria e serviços de engenharia, no dia 04 de março, às 14h30min, na sede da Amauc. A empresa foi a vencedora da licitação para elaboração do plano de trabalho, supervisão e fiscalização dos serviços rodoviários que serão contratados. Na oportunidade serão lançados os editais de pregão eletrônico para contratação do serviço de manutenção e recuperação rotineira de rodovias pavimentadas e não pavimentadas, sinalização viária e limpeza de plataforma (roçadas).

O Consórcio Lambari já está trabalhando para agilizar todos os encaminhamentos necessário para publicação dos editais e contratação das empresas que irão realizar os serviços. O Secretário Executivo da AMAUC, Roberto Kurtz Pereira, pontua que, somente após concluído todas as contratações é que o Consórcio passa a assumir oficialmente os serviços, até lá, a manutenção e recuperação das rodovias continuam sendo de responsabilidade do Governo do Estado de Santa Catarina. Também destaca, que os recursos são insuficientes para fazer a recuperação necessária na malha viária estadual na região e que alguns trechos deverão ser priorizados, mas que o Governo já sinalizou recursos para firmar novo convênio e dar continuidade ao serviço, caso se confirme como uma parceria exitosa.

Mais informações: A região do Alto Uruguai Catarinense da Amauc, através do Consórcio Lambari, assinou o convênio do Projeto Recuperar para manutenção das estradas estaduais dos 14 municípios, ainda no mês de novembro de 2019. O projeto proposto pelo Governo consiste na recuperação da pista, roçada, sinalização e desobstrução da drenagem, não incluindo obras estruturantes ou recuperação de estradas em estado precário, pois essa continuará sendo obrigação do Governo.